terça-feira, 1 de janeiro de 2008

Veni Creator Spiritus

Pelo mundo fora existe maneiras diversas de celebrar a passagem de ano.
Na Igreja, apesar da grande maioria dos fiéis o desconhecer, dois hinos litúrgicos estão ligados ao princípio e ao final de cada ano, concedendo indulgência plenária nas condições ordinárias no canto público, e indulgência parcial na recitação privada. Estes dois hinos são o “Veni Creator Spiritus” e o “Te Deum”.
O ano passado, o meu blog tinha encerrado 2006 com o “Te Deum”, um longo hino de acção de graças, cantado em várias ocasiões litúrgicas, mas que a Igreja também entoa no 31 de Dezembro para agradecer a Deus os doze meses que passaram.
Neste 1 de Janeiro de 2008, coloco no meu blog o “Veni Creator Spiritus”, hino onde Espírito Santo é invocado pelo Povo de Deus para que seja derramado no mundo os seus dons e frutos ao longo dos dias do ano que se inicia.
Este último é um dos meus hinos gregoriano preferido, mas a sua tradução portuguesa no Catecismo é péssima…acho que até se enganaram no hino. Eis a versão latina...e a minha.






Veni, Creator Spíritus, mentes tuórum visita,
imple supérna grátia, quae tu creásti péctora.

Qui díceris Paráclitus, altíssimi donum Dei,
fons vivus, ignis, cáritas, et spiritális únctio.

Tu septifórmis múnere, dígitus paternae déxterae,
tu rite promíssum Patris, sermóne ditans gúttura.

Accénde lumen sénsibus; infunde amórem córdibus,
infírma nostri córporis virtúte firmans pérpeti.

Hostem repéllas lóngius, pacémque dones prótinus;
ductóre sic te praevio vitemus omne noxium.

Per te sciámus da Patrem, noscamus atque Filium;
teque utriúsque Spíritum credamus omni témpore.

Deo Patri sit glória, et Fillio, qui a mórtuis
surréxit, ac Paráclito, in saeculórum saecula. Amen.





Vinde Espírito Criador, visitai as almas vossas,
enchei da graça do alto, os corações que criastes.

Sois chamado Consolador, o dom de Deus Altíssimo,
fonte viva, fogo, caridade, e unção espiritual.

Sois formado de sete dons, o dedo da direita de Deus,
Solene promessa do Pai que inspira as palavras.

Iluminai os sentidos, infundi o amor nos corações,
fortalecei para sempre os nossos corpos enfermos.

Afastai o inimigo, dai-nos a paz sem demora,
e assim guiados por Vós, evitaremos todo o mal.

Fazei-nos conhecer o Pai, e revelai-nos o Filho,
para acreditar sempre em Vós, Espírito que de ambos procedeis.

Glória seja dada ao Pai, e ao Filho que da morte ressuscitou,
e ao Espírito Paráclito, pelos séculos dos séculos. Amen.



Bom 2008!

2 comentários:

Maria João disse...

Se tivermos o Espírito Santo temos tudo... Di-Lo Jesus e Maria em Medjugorje (http://medjugorje.no.sapo.pt)


beijos em Cristo

helio disse...

Olá,

gostaria de agradecer a ótima tradução do Veni Creator Spiritus. Realmente a tradução do catecismo é péssima, sem nenhum respeito à metrica e às palavras que tao bem encadeadas formam essa maravilha no latim. Acho a Igreja peca muito por tentar simplificar as orações e fazer traduções extremamente pobres dos sagrados textos e daqueles cuja tradição já consagrou, como é o caso de diversas orações à Virgem, além de ofícios e afins que se tornam muito desinteressantes quando submetidos à tradução simplificada. É até válida a intenção de aproximar-se mais da linguagem cotidiana das massas, mas seria mais nobre trazer os fieis à riqueza ritual ( e poética )que a Igreja possui e que a distingue de outras denominações cristãs.

um abraço