segunda-feira, 19 de março de 2007

O silêncio de São José

«O silêncio de São José não manifesta um vazio interior mas, ao contrário, a plenitude de fé que ele traz no coração, e que orienta todos os seus pensamentos e todas as suas acções. Um silêncio graças ao qual José, em uníssono com Maria, conserva a Palavra de Deus, conhecida através das Sagradas Escrituras, comparando-a continuamente com os acontecimentos da vida de Jesus; um silêncio impregnado de oração constante, de oração de bênção do Senhor, de adoração da sua santa vontade e de confiança sem reservas na sua providência. Não se exagera, se se pensa que precisamente do "pai" José, Jesus adquiriu no plano humano aquela vigorosa interioridade, que é o pressuposto da justiça autêntica, da "justiça superior", que um dia Ele ensinará aos seus discípulos (cf. Mt 5, 20).
Deixemo-nos "contagiar" pelo silêncio de São José! Temos tanta necessidade disto, num mundo muitas vezes demasiado ruidoso, que não favorece o recolhimento, nem a escuta da voz de Deus.»

Bento XVI, Angelus 18/12/2005


Avé José,
que a graça divina encheu.
O Salvador descansou nos teus braços
e cresceu sob o teu olhar.
Bendito és tu entre todos os homens
e bendito é Jesus, o Filho divino da tua esposa virginal.
São José, dado por pai ao Filho de Deus,
roga por nós, nas dificuldades da família,
de saúde e de trabalho
até aos nossos últimos dias,
e digna socorrer-nos na hora da morte.
Amen.

2 comentários:

gota de chuva disse...

:)

Maria João disse...

Que S. José rogue por nós para que, à sua semelhança, consigamos fazer silêncio, fazer a Vontade de Deus e amar o Pai do Céu.