sexta-feira, 17 de novembro de 2006

Fé em debate na Antena 3

Um dia desta semana, estava eu a conduzir o carro e a ouvir na rádio, o programa da Antena 3, “Prova Oral”, que debatiam sobre religião…não sei exactamente o tema, mas falava-se de fé e de catolicismo. Além da pouca cultura religiosa dos locutores, e não é pejorativo quando escrevo isso, mas um constato, alias, eles afirmavam não frequentar as igrejas fora dos casamentos dos amigos, nem interessar-se por Deus, desde que deixaram de ser obrigados a ir à catequese, fiquei triste e chocado, com o testemunho dos cristãos, daqueles que ouvi, que ligaram para dar a opinião deles.
De facto, afirmavam-se crentes, católicos, mas, pareciam saber pouco mais daquilo que os apresentadores do programa conheciam sobre Cristo e a Igreja.
A fé e a coerência da vida que ela implica, a relação intima com Deus, a vida no seio da Igreja, que não é perfeita, isso sabemos todos, mas nem por isso deve ser considerada como uma fachada de bons costumes, eram menosprezadas a favor destas afirmações:
- “Acredito porque sou português e um bom português é católico.”
- “Tenho fé, sou livre, faço o que me apetece”, ora isso não é parecido com a liberdade que Deus nos deu, mas com libertinagem
- “Não faz mal pecar, até tenho orgulho disso, no fundo o que interessa é amar a Deus”. Ora como é que alguém pode dizer que ama a Deus se não quer ouvi-Lo, nem se empenhar em cumprir a sua Lei, e ter orgulho em transgredi-la.
- No Vaticano, tudo é revestido de ouro e é o estado mais rico do mundo.
- A Mãe de Jesus deixou de chamar-se Maria…agora é Fátima.
Enfim, estes são algumas das ideias que foram transmitidas pelos nossos cristãos no meio de tantos outros preconceitos ou faltas enormes de conhecimento e de adesão verdadeira à fé.
Muitos cristãos estagnam no descobrimento de Deus, contentam-se com os saberes que adquiriram na catequese, na família, na tradição religiosa do país…saberes da infância, para crianças, que necessitam de actualização para a idade adulta...e isso, não vai contra o caminho da infância de Santa Teresa do Menino Jesus, que consiste na confiança simples em Deus, à maneira dos mais pequeninos, mas numa fé clara e percebida.
Resta à Igreja, hierarquia e leigos, que querem à sério viver e proclamar o Evangelho como família de crentes, fomentar um cristianismo iluminado, consciente, sempre com aquelas dúvidas que humanamente são normalíssimas…quem consegue encaixar na cabecinha o grande mistério do Deus infinito, mas vivido “com as tripas”, porque mais do que nunca, num mundo que rotula, que conhece o outro através do preconceito e das falsas verdades estabelecidas, a Boa Nova de Jesus tem que ser anunciada pelas palavras e acções certas, que o Espírito Santo inspira aos corações abertos à sua acção.

4 comentários:

elsa nyny disse...

Amigo!!!!

Obrigado pela visita! E sim eu vou lonkar o teu blog! O qual gostei muito, e sim vamo-nos empenhar no crescimento desta comunidade católica na net!!

Beijinhos!!!
:))

elsa nyny disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Romeus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
nahar disse...

Cheguei ao teu blog por uma amiga minha. Goatei bastante e a música que passa é uma das minhas preferidas. Vou passando por cá.

Abraço forte em Cristo