sábado, 17 de Fevereiro de 2007

Reflexão sobre a amizade

A Sandra do blog Teologar, convidou-me para falar sobre a amizade…preferia estar convosco à volta de uma chávena de café num sítio agradável a “tertuliar” sobre o tema, mas sendo muito difícil concretizar tal objectivo, vai aí as minhas reflexões sobre a amizade.

Amizade...lembrei-me logo de um versículo da Bíblia: “ Um amigo fiel é uma poderosa protecção, quem o encontrou, descobriu um tesouro.” (Ecli 6, 14)
De facto, a amizade é algo de valioso para o homem, e como um tesouro, não está em todos os cantos de rua…temos que procurá-la, ou então, sai-nos a sorte grande, e ela vem ter connosco.
Um amigo é alguém que estimamos, em quem confiamos, sobre o qual podemos contar nas horas boas e nas horas más, um protector mas também um conselheiro…ora isso, não é propriamente fácil de encontrar, mas quando o descobrimos, como qualquer relação humana, é necessário trabalhar, valorizar, conservar, "manter a ligação".
Como o amor, ninguém imagina viver sem a amizade, alias, a amizade é uma das muitas manifestações do amor. Também, na amizade, ama-se e deseja-se ser amado, de maneira diferente do que em relação a um pai, uma mãe, namorado(a), esposo(a)…mas também é amor. Há quem diz que “a amizade é o casamento de dois seres que não podem dormir juntos.” (Jules Renard)
No Evangelho deste domingo, Jesus convida-nos a ultrapassar uma amizade “normal”, correspondida: “Sou teu amigo. Dás-me a tua amizade”.

Ele diz: “Se amais aqueles que vos amam (…) Se fazeis bem aos que vos fazem bem, que agradecimento mereceis? Também os pecadores fazem o mesmo. Vós, porém, amai os vossos inimigos.”(Lc 6, 32-33.35)
Como sempre, o Mestre exige aquilo que nos parece ilógico ou impossível…não ser só amigo dos amigos, mas também dos inimigos. Isso vai ao encontro daquilo que nos rodeia, da forma de pensar do nosso mundo que experimentamos todos os dias.
Mas, mais uma vez, o que interessa para quem acredita nestas palavras da Verdade, é segui-las por amor Áquele que as proclamou. O que importa, é fazer tudo para nos reconhecermos nestes versículos do Evangelho segundo São João: “Vós sereis meus amigos se fizerdes o que vos mando. Já não vos chamo servos…chamo-vos amigos” (Jo 15,14-15).
Quereis um exemplo disso? A amizade como alicerce da comunicação do amor entre os homens, permitiu a comunicação daquilo que houve de mais importante para o beato Carlos de Foucauld…a sua amizade com Jesus. Este irmão universal adoptou a amizade como centro do seu trabalho apostólico. Quando experimentou a amizade com Cristo, não pôde apresentá-lo aos outros senão na mesma experiência da amizade. Anunciou o Evangelho as populações do deserto Saara com, na, e pela a amizade.

Porque então não aceitar o desafio que Jesus nos coloca, vivendo a amizade com todos por amor por Ele?

A amizade de Jesus e de Carlos de Foucauld


A minha reflexão sendo exposta, tenho que escolher 5 pessoas para também elas exprimirem-se sobre a amizade.
Os 3 primeiros foram escolhidos à sorte em blogues linkados no meu...abrindo-me assim ao conhecimento de novas pessoas neste mundo virtual.
Os dois últimos são "visitadores e visitados" frequentes do "Sede de Deus"

Marcos e Lai
Daqui
Vilma
Pe. Vítor Magalhães
Joana

5 comentários:

Pe. Vítor Magalhães disse...

OBRIGADO, GOSTO MUITO DESTE ESPAÇO, PELA MÚSICA, PELE REFLEXÃO, PELA SENSIBILIDADE,...

J disse...

Sedente,

Sinto me lisonjeada pelo convite e irei aceitá-lo, admiro muito este cantinho do Senhor e gosto de passar por aqui nem que seja para rezar um bocadinho.

Obrigado por me dares a conhecer o Rosto de Cristo nas tuas palavras.

Um grande beijinho em Cristo

Lai disse...

obrigada,

aceito o desafio...

DTA
Lai

daqui disse...

Olá! Também eu aceito o desafio que me propõe (e acho que o objectivo deve ter resultado porque eu não conhecia este espaço mas fiquei com vontade de voltar). Obrigada!

Vilma disse...

Obrigada pela escolha. Aceitarei o desafio!
DTA